Eventos Feministas

15 novembro 2011

Lugar de mulher é na cozinha?


Moçoila feliz ao lado de seu fogão...



EMPODERAMENTO 
FEMININO 









 Gente, este bloguinho pode não estar servindo para ninguém além de mim mesma, de minha própria "instrução" feminista e meu próprio encontro rumo à mulher que desejo ser, me transformar dia-a-dia.Mas que ele sirva à mim mesma já é muita coisa, e isto ele está fazendo. 

 Eu "cresci" dentro de um movimento ativista chamado MNU(movimento negro unificado) e lá aprendi sobre ideologia e política, sobre feminismo principalmente. Lá discutíamos Malcolm X, Steve Biko,Simone de Beauvoir, uma gama bem ampla de líderes de várias correntes.Sou muito grata ao Miltom Barbosa e sua esposa querida, a Regina.

 Tenho muito a aprender, este blog está cumprindo esta missão. Se ele proporcionar a garotas adolescentes o interesse por estas questões,ficarei mais feliz ainda. Porque a juventude fará o futuro, não é isto?

 Sobre cozinha...cresci em uma família em que minha mãe dizia que eu não precisaria saber cozinhar porque trabalharia e pagaria alguém para fazer isto por mim.Pensando de forma lógica, não ter este conhecimento elementar é vantagem? Para quem?

 Eu resolvi aprender a cozinhar já com 23 anos de idade, quando engravidei da minha filhota.Na gravidez "desejava" sempre, via de regra, comidas que lembravam minha infância, e minha mãe.Pensava: "minha nenê também terá esta memória quando crescer.Preciso aprender a cozinhar".E olha que meu ex-marido, cozinha bem, e adora fazer isto!

 E depois de comer muito arroz empapado, e carne queimada, hoje sou uma honesta cozinheira. E a macarronada que faço é a preferida da minha filha!Prefere à minha à da minha mãe...cof!cof!

 Confesso:tenho mesmo muito a aprender, mas não passo  fome nem vergonha com o trivial.E hoje sei que arrumar a própria casa, preparar o teu alimento, aprender um pouco sobre eletricidade (saber consertar um chuveiro,p.ex),isto não representa  retrocesso algum, além de serem habilidades que trazem autonomia e empoderam qualquer pessoa,independentemente do gênero desta, sem sombra de dúvida.

Maitena
 As muheres podem ocupar a presidência e também os fogões...por que não? Não porquê mulher-tem-que-fazer-isto,  mas por escolha pessoal, se for o caso.E há quem de fato encontre muito prazer nisto, enxergue como "terapia", enfim...desde que não seja encarado como uma obrigação social,dever cultural, conquistar esta habilidade só trará benefícios.



 Para quem, como eu, precisa aprimorar-se no tema "cozinha"e "receitas" , indico:


  Espero que tenham gostado. Abraços.


4 Leitor@s:

felipe leon disse...

seguindo o blog , se puder retribuir ...
http://fleonandthecity.blogspot.com/

Anônimo disse...

Cozinhar não é questão de obrigação feminina e sim de sobrevivência, é o minimo que o ser humano deve saber, independentemente de gênero, ou você se alimenta, ou morre de fome. Sim minha cara, pode-se chamar de escolha pessoal, isso claro, quando se tem alguém que faça por você.

Sucesso,
M.

Anônimo disse...

Quero deixar claro, "saber pilotar um fogão" não te torna menos independente, pelo contrário, saber cozinhar é o primeiro passo para a individualidade se assim podemos chamar. Se você depende de alguém pra te alimentar, então sempre precisará de alguém.

M.

http://souferrofundido.blogspot.com/ disse...

Anônimo ou M,
comer é sinal de sobrevivência.Cozinhar não têm sido sinal de sobrevivência para os homens há séculos, e o gênero não foi exterminado.Logo, têm sido questão de gênero sim.Os homens têm tido quem faça por eles, não o contrário! Mas muitas mulheres hoje não cozinham,!"porque também precisam caçar os bisões", e sem dúvida, além de ser importante, empodera por dar autonomia.
Abraço.

Ocorreu um erro neste gadget