Eventos Feministas

29 julho 2010

A mulher submissa ao marido e ao Cristianismo.


EI,AQUI!!!

  • O que é  MARIANISMO e como isto afeta VOCÊ.
  • Por que VOCê É como É (Leia e chore).
  • RECEITA para fazer MULHER PERFEITA (ou tornar-se uma).
  • CrIsTiAniSmO  e VOCÊ.
  • BenHê E vOcÊ.

   O MAL DA DIFERENÇA

Chama-se marianismo a crença na superioridade masculina, e ela encontra apoio indiscutível dentro do cristianismo.

Características deste sistema discriminatório sexual. Antes, um trecho bíblico bem ilustrativo:
  • Vocês, (...) mulheres, sejam submissas à vossos maridos, a fim de que, mesmo se alguns recusarem acreditar na Palavra, eles sejam convertidos, sem palavra, pela conduta de suas mulheres, levando em consideração vossa conduta pura e respeitosa. Que vosso adorno não seja exterior: cabelos em tranças, jóias de ouro, roupas elegantes; que seja a disposição invisível do coração, vestimenta incorruptível de um espírito doce e pacífico, pois isso tem um grande valor diante de Deus. É assim que antigamente se adornavam as santas mulheres que esperavam em Deus, sendo submissas a seus maridos: tal como Sara que obedecia a Abraão, chamando-o de seu senhor, ela de quem vocês se tornaram as filhas fazendo o bem, e não se deixando perturbar por nenhum temor.Vocês os maridos, da mesma forma, levai a vida comum levando em conta a natureza mais delicada de vossas mulheres; mostrai-lhes respeito, pois que elas hão de herdar com vocês a graça da vida, para que nada entrave vossas preces." (Retirado da Bíblia)
POIS BEM...

 Na perspectiva de Evelyn Stevens“o marianismo é o culto da superioridade espiritual feminina, que considera as mulheres semidivinas, moralmente superiores e espiritualmente mais fortes que os homens.”
 Assim, as mulheres são vistas como detentoras de uma  idoneidade sem limites para a bondade, humildade e espírito de voluntariado e de sacrifício. Neste domínio concreto, há excepções que não confirmam a regra e há regras que não corroboram as excepções!
 De acordo com diversos estudos sociológicos, o marianismo vê-se como uma doutrina secular e diz respeito ao conjunto de crenças e de práticas concretas que determinam a posição das mulheres na sociedade.
 De todo o modo, o marianismo estando, diretamente, relacionado com a ideologia ou fundamento religioso, omite, em grande medida, os direitos da mulher. A tentativa de extremar uma doutrina ou movimento transcendental torna-se discriminatória quando comparada ao papel ou prática da mulher na sociedade.
Vejam-se algumas normas contraditórias que fundamentam a desigualdade social e de gênero:
• Papéis que desfavorecem o gênero feminino;
• Normalizações e representações da sexualidade que desfavorecem a mulher;
• Expectativa conjugal e familiar que não corresponde aos iguais deveres e direitos entre os gêneros (por exemplo: violência intrafamiliar);
• Esfera do trabalho, do emprego e do “lar doméstico” que desfavorecem a mulher, frequentemente;
• entre outros, inclusive as leis de um  país!



ALICERCES DO MARIANISMO
OU COMO SE TORNAR UMA ESPOSA PERFEITA...veja se "dá conta"!
 A dupla imagem contraditória de Maria e de Eva alimentou os fantasmas de gerações de católicos.   O caráter inconciliável da maternidade e do sexo, o modelo da Santa Mãe e da imagem da decadência teceram a tela de fundo do inconsciente coletivo das sociedades católicas.

 Mas o modelo divino perfeito para a mulher casada é sem dúvida Sara.Três características "notáveis" marcam sua vida:beleza, esterilidade e infelicidade.

 Devido 'a sua beleza, até governadores pagãos a desejaram. Por outro lado, sua esterilidade causou problemas e humilhação na vida doméstica, e até mesmo discussões com seu marido.

 O que a tornou tão "importante" não foi, entretanto, nenhuma habilidade pessoal, nem mesmo a sua beleza.Foi sua devoção única e inequívoca 'a seu marido Abraão.  

 DESDE esta época, as mulheres são levadas a acreditar que devem perdoar "as fugidinhas do marido", embora não devam fazer o mesmo,por exemplo, recebendo diversos argumentos que não são absolutamente comprovados cientificamente sobre a questão da maior libido dos homens.

 A mulher é vítima de opressão por todos os lados mas quando uma religião de tamanha influência em nossa sociedade define nosso comportamento desta forma, mesmo que nos digamos ateus, ou agnósticos, isto influi na forma de nos olharmos.

  Na maioria das vezes inconscientemente.Por exemplo, isso determina qual roupa devemos utilizar, quais comportamentos são adequados em determinado ambiente, o que devemos e não devemos fazer durante uma fase de desenvolvimento, e diretamente e indiretamente ,influenciando as leis de uma nação.

 Os principais mecanismos dessa modelagem, segundo a psicologia comportamental ou behaviorismo, estão no reforçamento e punição .  


 A Autoimagem Coletiva ainda diz que nós mulheres devemos ser submissas em um casamento. De forma dissimulada, mas nós acabamos ouvindo esta voz...


  Basta prestar atenção nas mulheres que conquistaram algum tipo de poder...mesmo elas são muitas vezes agredidas dentro de casa, ou repetem o discurso de que "os homens temem mulheres que adquirem poder."


  Eu não duvido que mentes brilhantes estejam, agora mesmo,"se fingindo de mortas",em uma auto-sabotagem,só para terem um companheiro, se sentirem amadas e serem "socialmente aceitas".   Falta autoconfiança para a mulherada...e certamente nós não conseguiremos isto "estudando a Bíblia"...já tentei.      


Autoestima elevada se correlaciona com a felicidade autorrelatada.

   
 Precisamos aprender a ficar em paz dentro de nossos corpos. A exercer nossa sexualidade sem vestígios de culpa. A lutar por igualdade de direitos com os homens.  E mantermos assim nossas vitórias estáveis, sem procurar desculpas para nossos fracassos. Assim..S.eremos amadas por homens que nos respeitam como somos...

3 Leitor@s:

Amanda disse...

Bem, acho que a questão da bíblia trata-se de INTERPRETAÇÃO! Pois desde de a Idade Média os padres davam a SUA interpretação à bíblia pois assim era mais fácil controlar a vida dos fiéis. E, falando um pouco mais de nós mulheres, acho que infelizmente ainda hoje somos muito discriminadas, mas isso se deve em parte a algumas mulheres. Depois de tantas lutas no século XX, para podermos votar, usar calças, escolher com quem queríamos casar, escolher se queríamos ter filhos, usar anti-concepcionais e conquistarmos o nosso espaço, percebo que hoje muitas mulheres ainda tem aquele pensamento antigo de ganhar algo com o corpo e não com a mente. Afinal, quantas escritoras são mundialmente famosas? Quantas mulheres já ganharam o prêmio nobel? Agora, basta olharmos para uma banca de revista para encontramos "mulheres". Dançarinas de funk, modelos, atrizes e tantas outras vendem o próprio corpo em busca de fama. Acho que a sociedade peca por valorizar somente essas mulheres "bonitas", mas essas mulheres também pecam por botarem a perder anos de luta por igualdade e reconhecimento não somente pela beleza. Nós devemos ser conhecidas por nossa capacidade intelectual, as coisas úteis que fazemos, devemos valorizar nossas escritoras, cientistas, professoras, muleres que lutam por seu espaço e não somente por ter um rostinho bonito, pois infelizmente algumas mulheres se auto-destroem.

Amanda disse...

gostei da ideia do teu blog. Vou te seguir

Natacha Domingues disse...

Obrigada, Amanda...
também já estou te seguindo.

Ocorreu um erro neste gadget