Eventos Feministas

06 novembro 2010

Entretenimento Erótico Feminista?

Com filmes com histórias adocicadas , estilo “Ana e Júlia”, que mostram as fantasias femininas, a diretora norte-americana Candida Royalle revela que pornografia também é coisa de mulher.
 


 A proposta de Candida Royalle é a produção de filmes pornográficos totalmente direcionados às mulheres. Os vídeos da diretora são diferentes dos milhares que pipocam no mercado a cada ano.
Roteiros envolventes retratam as fantasias femininas mais comuns, segundo pesquisas realizadas pela própria diretora.
 As cenas de sexo evitam os até então obrigatórios e desnecessários closes genitais - e não mostram cenas de ejaculação, ao contrário dos filmes masculinos ,(aonde as mulheres vão além, fazendo uma verdadeira degustação de sêmen). Nos filmes de Candida Royalle há muito sexo oral, feito NELAS.
 Muitos filmes são realizados com casais reais, sempre com atrizes e atores consagrados do gênero, sem a maquiagem bizarra que é costume ser utilizada, e muitas vezes, optando por atrizes lindas... com seios e formas corporais reais.
 As mulheres são estimuladas a tomar a iniciativa. "Sexo safado pode ser divertido às vezes, mas imagens degradantes e abusivas não agradam o público feminino", diz Candida, que trabalhou dez anos como atriz pornô.
 Ela acredita que as mulheres têm uma linguagem sexual particular, que não é mostrada na pornografia comum, inspirada nos desejos masculinos. "Por isso, eu encorajo as mulheres a criarem seus próprios filmes eróticos."
Nascida e criada em Nova York, Candida cantou numa banda de jazz e integrou um grupo de teatro antes de estrear como atriz pornô em 1974. Em dez anos, atuou em mais de 50 filmes, entre eles "Uma Aventura Sexual, o Filme", de Henri Pachard. Em 1984, fundou a Femme Productions e começou a escrever, dirigir e produzir sob a ótica feminina.
 O que parecia um suicídio comercial (afinal de contas, mulheres não gostam de pronô, certo?),se transformou numa reviravolta no mercado do vídeo erótico. E agora esse tipo de produção é chamado de Chick Porn.
Mulheres que consideravam a pornografia ofensiva passaram a se interessar pelo gênero. "É claro que certos filmes são ofensivos", diz Candida. "Como aqueles que retratam mulheres como loiras burras, com peitos enormes e desproporcionais.
 Ou então mostram garotas envolvidas em atos sexuais que não as agradam." Mas não é só isso que afasta o público feminino. "Somos levadas a acreditar que não somos tão ligadas ao sexo visual quanto os homens. Mas, se existirem imagens criadas para nós, também podemos ser muito visuais.
" Nas produções da Femme, é comum a presença de mulheres maduras, de 30 a 35 anos. "As jovens são fisicamente belas, mas confusas e sem a experiência que torna uma pessoa interessante na cama. Nós melhoramos com o tempo, e eu quero apoiar essa idéia no meu trabalho. Quero que as mulheres se sintam bem consigo mesmas, não importando a idade que têm."
O O  O que assistir?
No Brasil, há quatro filmes de Candida Royalle disponíveis nas locadoras. Produções como "Femme" (84), "My Surrender" (96), "The Bridal Shower" (97), "The Gift" (97) e "Eyes of Desire, Parts 1 & 2" (98) permanecem inéditas, mas podem ser encomendadas na Internet, no site da Excalibur Films (www.excaliburfilms.com/catalog.htm).
Os títulos lançados aqui são:
"Fantasias Urbanas" ("Urban Heat", 1984,Royalty).
Filmado em Nova York, marca a estréia de Candida na direção. O filme é composto por episódios curtos. Numa das histórias, uma mulher de 40 seduz um jovem no elevador. Foi eleito o vídeo do ano pela crítica especializada de Nova York.
"O Segredo de Christine" ("Christine's Secret", 1985, Sexxxy). Segundo a crítica,um dos melhores filmes de Candida, com fotografia belíssima, roteiro divertido e cenas excitantes. A sequência na qual Christine (Carol Cross) se masturba diante da janela do caseiro ficou famosa entre os aficcionados. Recebeu quatro prêmios da crítica de Nova York.
"Revelações" ("Revelations", 1993, Royalty).
Caprichada produção em 35 mm com roteiro futurista que lembra o romance "1984", de George Orwell. Num futuro cinzento, o sexo tornou-se apenas um meio de reprodução, mas Ariel (Amy Rapp) está “empenhada” em descobrir seu verdadeiro significado.
"Três Filhas" ("Three Daughters", 1986, Royalty).
Baseado no livro "Liberation Masturbation", de Betty Dodson, narra o despertar sexual de Heather (Siobhan Hunter), que encontra uma inesperada paixão após o casamento da irmã.
(Fonte:Revista Marie Claire)
Qual a sua opinião?
(Estreando categoria Subcultura.)

8 Leitor@s:

Marcia disse...

Concordo mais ainda para ter certeza que é realmente diferente só assistindo..só assim posso dar minha opinião final.

Me chamou a atenção a falta de comentários...porque será???

http://souferrofundido.blogspot.com/ disse...

Márcia, obrigada pelo comentário...quanto 'a pergunta, o meu blog tá parecendo "autista"...rsrs.Ou a dona dele, sei lá!Escrevendo para si mesma!Não sei te responder...Beijo!

Gel disse...

Complementando o comentário de Márcia... é mesmo difícil falar de sexo, né? Triste tabu feminino, se fosse um daqueles blogs machistas estaria com recordes de comentários. Enfim...
----
Tava conversando sobre isso com amigas por esses dias. Era consenso na mesa que todas odiavam pornôs, mas depois foi levantada essa questão deles serem voltados exclusivamente para os homens, para o que excitam eles, e não a nós. O sexo para a mulher tem outros significados, então não há como generalizar tanto na cama como também nos filmes eróticos.
Muito, muito boa a iniciativa da diretora.

Gel disse...

Esqueci de dizer:
ADOREI o blog, minha alma feminista agradece.
Tô seguindo! :D

http://souferrofundido.blogspot.com/ disse...

Obrigada Gel!!Particularmente não gosto dos filmes pornográficos tradicionais, acho uma agressão, simplismennte não atingem minha libido, feito da forma que são. Mas já assisti alguns filmes com histórias interessantes, e achei bacana a idéia da diretora.Se os filmes são feitos com a finalidade de criar sensações eróticas em mulheres, acho bacana. E acho sim que as mulheres também são muito visuais. Eu sou.Obrigada pelo comentário....sim, sexo ainda é tabu.Engraçado, não?

웃 Lu Silva 웃 disse...

Natacha estou visitando seu blog pela primeira vez.
Ele é lindo, parabéns!!!
De cara vejo um post deste ai ai ai
Irei casar daqui um ano e meio, e filmes como estes são excelentes eitaaaaaaaaaa
Add vc aqui nos meus favoritos. E depois irei comprar ou alugar estes filmes. E quero mais dicas!!!!

Lindo post


bjos fofos

Gabe disse...

Heey (:
Tenho andado meio sumida daqui, mas agora vou voltar a postar e comentar nos blogs que sigo.

Deixei um desafio pra você lá no meu blog (:

Guerreira disse...

Muito bom o blog. Parabéns!
Me segue também: http://vidonademulher.blogspot.com/

Ocorreu um erro neste gadget